ptenes

Avaliação do Usuário: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa

Entendendo a instalação em “linha de tensão constante”

“Linha de tensão constante” é o nome genérico dado às instalações com cabos longos entre o amplificador e os alto-falantes, e é por vezes também chamado de “som distribuído”. Neste artigo falaremos dos seus princípios, bem como das regras básicas para se executar uma boa instalação.

Avaliação do Usuário: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa

Especificando a potência do amplificador considerando o regime

A filosofia de apresentação de potência utilizada pela Next Pro é a que leva em consideração o regime em que o amplificador irá trabalhar, pois acreditamos que nada é mais justo do que conhecer por antecipação o desempenho do produto pretendido nas suas reais condições de operação!

Avaliação do Usuário: 4 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela inativa

Por quê o consumo AC dos amplificadores costuma ser menor que a sua potência de saída?

O começo da resposta consiste em entender que os métodos de medição da potência de saída de áudio são diferentes das normas vigentes para a medir o consumo AC dos diversos equipamentos. Essa discrepância costuma implicar em números para o consumo AC menores do que os números obtidos para a potência de saída de áudio.

Se deseja enviar uma mensagem ou comentário sobre este artigo ou vídeo, use o formulário abaixo.

Marcelo Barros é físico com mestrado em conversão de potência. Recebeu seus B.Sci e M.Sci pela Universidade Federal de São Carlos, importante centro de pesquisas no interior de São Paulo. Apesar de jovem, pode ser considerado um veterano, pois atua na indústria desde 1992. Desenvolveu projetos em quase todas as áreas do áudio profissional, assinando o projeto de alguns produtos hoje considerados marcos da indústria, como o primeiro pré-amplificador de microfone valvular nacional tido do mesmo nível dos clássicos vintages. A partir de 2005 especializou-se em amplificadores e fontes chaveadas e liderou o projeto do primeiro amplificador digital profissional produzido em série no Brasil. É coordenador do Grupo de Trabalho de Amplificadores da Comissão de Estudo CB003/CE003-100-001 da ABNT, que atualmente elabora a Norma Brasileira de Amplificadores.